Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Até que os Sentidos Transbordem

Poesia não são palavras que rimam, são palavras que sentem.

Poesia não são palavras que rimam, são palavras que sentem.

Até que os Sentidos Transbordem

10
Jul18

Elegia do Ciúme

A tua morte, que me importa, 
se o meu desejo não morreu? 
Sonho contigo, virgem morta, 
e assim consigo (mas que importa?) 
possuir em sonho quem morreu. 

Sonho contigo em sobressalto, 
não vás fugir-me, como outrora. 
E em cada encontro a que não falto 
inda me turbo e sobressalto 
à tua mínima demora. 

Onde estiveste? Onde? Com quem? 
— Acordo, lívido, em furor. 
Súbito, sei: com mais ninguém, 
ó meu amor!, com mais ninguém 
repartirás o teu amor. 

E se adormeço novamente 
vou, tão feliz!, sem azedume 
— agradecer-te, suavemente, 
a tua morte que consente 
tranquilidade ao meu ciúme. 
 
 
David Mourão Ferreira 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D