Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Até que os Sentidos Transbordem

Poesia não são palavras que rimam, são palavras que sentem.

Poesia não são palavras que rimam, são palavras que sentem.

Até que os Sentidos Transbordem

14
Ago18

Por Vezes Fico Sozinha

Às vezes fico sozinha
Só contigo no espelho,

Tu na tua e eu na minha

A ver quem fala primeiro...

 

Chegas sempre quando eu chego.

Partes sempre que me vou…

Divididas no segredo

De seres a mesma que eu sou.

 

Gosto de te ver bonita

E com ar namoradeiro

De quem ama e acredita

Num amor mais verdadeiro.

 

Sinto a sombra dos teus passos

Quando deixo o camarim

E no palco dos abraços

Toda tu, dentro de mim.

 

Ver-te chorar põe-me triste.

Ver-te sorrir, mais contente.

Igual a ti não existe

Mesmo num mundo diferente.

 

Copias cada meu gesto

E do cabelo ao vestido

Tu és o corpo q´empresto

À alma que faz sentido...

 

Por isso o meu fado tem o nome

D´um rio que me corre para a foz

E as margens da cidade que não dorme

Espelham nesse Tejo a minha voz...

 

Paulo Abreu de Lima (letrista)

 

8 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D